14/12/2007

A minha mãe

Olá

Às vezes esqueço-me disso… Da minha mãe ser muito parecida comigo. A minha mãe é eu...

Hoje telefonei para casa e a minha mãe adivinhando mares e tempestades disse-me que não fazia mal se eu não fosse no Natal a casa.

Sorri e lembrei-me que a minha mãe é muito eu. As coisas mudam de lugar, de geração e de outras coisas e continuo a ser muito a minha mãe.

Sempre fui muito de simpatizar com o meu pai. Que a meu ver é o gajo mais porreiro do universo, sério, sério, mesmo mesmo. O meu pai é aquela coisa boa.

Mas a minha mãe é muito mais eu. Muito mais essa pessoa com foguetes no rabo que não pode parar quieta. Sempre admirei a minha mãe e nunca lhe disse, sempre tive medo de ser mais fraco do que ela e essas coisas…

Os telefonemas internacionais são fodidos…

3 comentários:

Anónimo disse...

Mas vais ter um natal com bacalhau...
....ou passado nos alpes?

Comimom

Silva disse...

bacalhau tem sempre... resta saber saber se é da noruega ou da austria... :P

skoda disse...

Lol... Cá pra mim ele gosta mais de trincar o bacalhau austriaco...