08/09/2016

O Sumo da Vida...



Tenho dificuldade em lidar com a felicidade. Às vezes a felicidade põe-me nervoso, noutras deixe-me pouco focado. Deixa-me ali agarrado ao melhor dos destinos sem qualquer hipótese de escolher as opções mais erradas que possam existir.



Ah, como qualquer humano, também tenho saudade de tomar decisões erradas. De me enganar e foder-me todo barra todinho. Esta minha massa humana anseia por erros de palmatória. Por mapas errados, discussões intermináveis, enfim o sumo da vida…

06/06/2016

Os embaraços são sempre embaraçosos…



Às vezes um embaraço pode ajudar… Outras não… Afinal um buliço é sempre um buliço… Eu, o conhecidíssimo Marquês de Borba cruzaria o país montando num cavalo de ferro, preso às cearas verdejantes do meu país, descobrindo pássaros e passaretos, comendo gelados e cornetos na carruagem-bar quando passássemos por Grândola…

Afinal um embaraço é sempre um embaraço e de que adiantaria ao ditoso Marquês de Borba essa passeata e ao mesmo tempo fuga para a frente montado num cavalo de ferro.

Os embaraços são sempre embaraçosos…

O teu querido Marquês…

24/04/2016

Adrian Mole mode on...



Topograficamente podia falar-te da mansidão das noites de sábado, perdido entre uma enorme vontade e o desalento tão sempre presente…


Parados, naves espaciais a velocidades supermegacósmicas, foguetões, raios de luz… Depressa, devagar, parados, a avançar numa noite de sábado fria e desadequada para este tempo de Primavera. Aborrecida e fria… 

23/04/2016

Casas…




Uma casa inacabada pode ser
Pode ser tudo
Pode ser nada
Por ser a falta de um ponto
Pode ser a fantasia de um tonto
Uma casa inacabada pode ser tudo ou pode ser nada…



Às vezes as relações são casas inacabadas… Podem ser tudo ou podem ser nada…

17/04/2016

Essa patética sensatez de ser um bom homem…




Às vezes deixamo-nos ir, quase que em piloto automático, casa no bolso, filhos, mulheres, mulheres dos outros, consultas…

Quando a vida nos corre bem falta sempre o que escrever… Podia estar aqui com relatos de felicidade mas não consigo. Não sei falar das coisas boas, as coisas boas são para serem vividas.


Sejam felizes :)

08/03/2016

O Artista...



Há que ser uma brilhante estrela cadente, labaredeando, aquecendo, fogo, fugindo veloz e fugaz… A vida é uma chama brilhante e efémera…



O artista bebeu vinho alentejano… O artista gosta de vinho… Vinho e putas...

Paradoxos Psiquiátricos...



Vejo inúmeros dependentes e os seus intermináveis problemas nas minhas consultas. Uns dependentes de drogas, outros de álcool, jogo, exercício, sexo e outras coisas que até tenho vergonha de contar e apesar de perceber o perigo que está associado a qualquer tipo de dependência às vezes não me apetece resistir…



Ricardo és um domador de feras…

19/02/2016

Daqui fala o Comandante...



Daqui fala o capitão pilinha, o navio está sob o meu comando...


Repito a palavra queca, queca, queca, queca, queca, queca, queca…


E a palavra queca perde o seu sentido esotérico transformando-se apenas numa queca decomposta em vectores ou uma vulgar queca descomplicada… É isso, apenas e somente uma queca descomplicada…



Ainda dizem que os gajos são tipos complicados…

Finding Food and Drink...




Nervoso miudinho quando se aproxima o dia de receber… Tou feito um verdadeiro funcionário público…



As notas ardem no bolso… Lá terei que voltar a comer gajitas por dinheiro…

21/01/2016

Escolhas macacas...


Se tivesse que escolher entre empurrar o Bruno Carvalho ou a Filomena Cautela de um precipício tava fodido…

Longe demais...



O Janeiro já tem pernas e barba rija e ainda não escrevi nada por aqui. Egoistamente ocupado… Às vezes dou por mim demasiado centrado em mim e nos meus afazeres…

Vivo como se tivesse nascido outra vez, sem quaisquer amarras ao passado…


Apesar de às vezes ter saudades de algumas pessoas das minhas outras vidas não chego a ter a telúrica intenção de dizer olá… O passado está distante demais…

05/11/2015

Só sobrou este meu exército de um...




Por Tétis mil dos meus exércitos entrincheirados levantaram-se e desapareceram…

De mil exércitos só sobrou este meu exército de um. Um cabo pateta e bravio, um comandante temeroso e um general desaparecido. Como era tantos e hoje sou tão poucos.


Mil exércitos encarniçados, de mim por ti…

10/10/2015

Tanto Mar...


Num país com tanto mar não podemos ter medo das tormentas em terra. Ora tumultos encarniçados, putas e vinho azedo ora a luzidia loucura de sermos verdadeiramente felizes…

05/09/2015

Intransponíveis muros de gelo...



Há pessoas que pela sua ausência nos fazem morrer com mais força, mais depressa ou o cataninho…



Pudesse eu dizer que tenho saudades tuas…

16/08/2015

Férias...



Amamos tudo o que já não é… Amamos o mar… Amamos os manos… Amamos os contra-tempos… Amamos os almoços intermináveis… Amamos os almoços dos outros… Amamos o Amor… Amamos os amassos… Amamos o vinho… Amamos amêijoas à Bulhão Pato… Amamos uns e não gostamos de outros…



Mas o que realmente importa, é que amamos as férias...

03/08/2015

Portugal esse país de poetas…




Hoje encontraram o cadáver dum tipo que se tinha perdido a fazer geocaching…


Entretanto aparece o oficial da GNR a dizer que isto só foi possível graças ao binómio cinegético…

Vinho, putas e putinhas...



Umas vezes Cícero trazia-nos escritos de Platão outras vezes vinho e putas e às vezes putinhas…



Ah grande Cícero, sabias como entreter o gentio…

30/07/2015

Mirtilos e amantes depostos…




Passados anos ainda continuo a receber hatemails… Eu devo ser o tipo mais pérfido do meu bairro…

Tu é mau… Tu é muito mau…

15/07/2015

Ghosting...



Ghosting: chama-se ghosting à quebra silenciosa e inusitada de relações amorosas ou de outros afectos de um dia para o outro, no mais absolutos dos silêncios…


Chamem-lhe falta de coragem… Chamem-lhe indecorosa indiferença… Chamem-lhe saída fácil…

Ah se a vida fosse fácil e linear era somenos engraçada…

Fornicating Under Consent of King...


Não me consigo lembrar de actividade mais estúpida do que o correr… Correr é obviamente coisa de larilas…





Quando alguém tem a infeliz ideia de me convidar para correr/running, respondo sempre que eu é mais fucking…

28/06/2015

O Amor e os entendimentos...




No Amor não existem entendimentos…


Nem poderiam existir… Até porque toda a gente sabe que o Amor é aquela guerra parva e infinita, rendilhada aqui e ali com jacintos lilases…



Tanta coisa para dizer sobre o Amor mas não temos tempo…

13/06/2015

Eu procrastino, tu procrastinas...


Segundo estudos neurológicos funcionais e segundo até a própria física Newtoniana é preciso mais energia para se iniciar o movimento do que para mantê-lo…

Afinal a procrastinação é fácil de entender…

Coisas psiquiátricas pá…



É possível através de técnicas de recondicionamento e vários fármacos reescrever as nossas memórias, boas ou menos boas… Como se de uma mágica viagem no tempo se tratasse…

Porque afinal de contas somos as nossas memórias…

12/06/2015

Folia nos Santos...


Por amor da santa…



Ir aos Santos Populares é coisa de pobre…

Não gosto...



Não gosto da Catarina Furtado, não gosto do Sócrates, não gosto do Mário Soares, não gosto de gajos portistas, não gosto da Rita Pereira, não gosto do Jorge Gabriel, não gosto do Markl, não gosto da Iva Domingues, não gosto do meu vizinho do segundo esquerdo, não gosto…



Estranhamente, abomino mais pessoas que não conheço do que as que conheço… Para além do meu vizinho do segundo esquerdo, não me lembro de nenhuma criatura que merecesse o mais tormentosos dos castigos. Sou um desmemoriado é o que é…

O Processo...


Por vezes, tal como se de um processo Kafkiano se tratasse, somos condenados à mais pesarosa das sentenças, enclausurados sem saber porquê, não havendo em nós um resto de esperança, nem tão pouco a força para nos declararmos inocentes sem saber de quê…


Aponto este rabisco no capítulo da depressão. Estes dias de laboriosos estudos na caverna, lendo os clássicos e outras coisas cravam-me punhais mas ao mesmo tempo deleitam-me com momentos demasiado assombrosos para caber neste diário… Infelizmente para ser um bom psiquiatra não basta ser um gajo porreiro, há que ler, estudar de uma forma que chega a ser demoníaca. Nunca tinha estudado tanto e de forma tão contínua…


Cavalo que corre por gosto…

06/06/2015

Milhões...



Umas vezes uma inquietude parva, outras vezes uma burburinho pequeno… Um burburinho pequeno, pequenino.



Duas da manhã, o sono não aparece…

16/05/2015

Eu, tu, nós e os outros indivíduos...




Actualmente, existem mais pessoas no mundo do que todas aquelas que já partiram…



Realmente assim é difícil alguém ser verdadeiramente insubstituível :)

26/04/2015

Sem cuspo...




Mil duzentos e tal euros de IRS para pagar…



Foda-se não há cu que aguente…

04/04/2015

Os lugares da nossa rua…



Há lugares que ficam no outro lado da rua. Lugares pelos quais passamos, sem saber e sem sentir, umas vezes a sorrir outras no mais absorto dos pensamentos. Sítios com gente dentro. Gente com mil e uma cabeças ou sem cabeça, gente que matou gente, gente que já não é gente e nós do lado de fora, tão aprumadinhos.

Passei por aquela rua vezes sem conta, muitas das vezes tendo como missão a espinhosa e complexa tarefa de comprar o Independente e um pacote de paivantes para o avô. Eram os belos tempos em que os putos ainda conseguiam comprar cigarros. Eram tempos de ter avô e de ter menos 30 anos nos costados. Ah, como foste um puto feliz.

Voltando aquela rua e aqueles lugares que nunca vemos e nunca sentimos. Do outro lado do muro, ei-lo no seu circular esplendor o pavilhão oito do Hospital Psiquiátrico Miguel Bombarda. O seu cheiro a leite tresmalhado, as paredes rasgadas com as mãos, salpicos de um vermelho sangue, latrinas cheias de merda e um bando de loucos…


E eu e nós no outro lado do muro…

21/03/2015

Pequenos e grandes cubos de gelo...



Após a instalação de um quadro clínico de esquizofrenia, para além dos défices associados à doença, os doentes ficam como que parados no tempo, conseguem por vezes manter alguns dos seus interesses mas os mesmos não evoluem. Os doentes revêem vezes sem conta os seus velhos discos, os livros coçados e usam sempre as mesmas roupas… Como que fragmentados num cubo de gelo onde o tempo foi confiscado.

Quando vivi em Zurique nos idos anos 2000, via muita gente como roupas e jeitos dos anos 90 e aquilo era difícil de perceber. Ainda hoje, algumas pessoas ligeiramente mais velhas do que eu, vestem-se de uma forma anacrónica, quase como que parados no tempo e sem qualquer vislumbre de crítica para isso…


Meus amigos evitem rotinas. Evitem sempre as mesmas conversas, os mesmos amigos. Sejam ousados, impetuosos e comprem roupa nova :)

Guilty Pleasures



Prontos, admito. Tenho visto alguns episódios da nova novela da TVI... Não posso estar bem :)


Não ter posto tv cabo na casa nova pode ter sido um daqueles erros insanáveis…

Jajão pá...




Não me venhas com jajão se não interno-te já pá…



Ahahah…

15/02/2015

O frio e eu...



O frio e as gastroenterites não combinam com o estudo…



Tento ler umas coisas no ipad, embrulhado até aos ossos mas está demasiado frio e muito cocó…

31/01/2015

Fácil de entender...



Segundo estudos neurológicos funcionais e segundo até a própria física Newtoniana é preciso mais energia para se iniciar o movimento do que para mantê-lo…


Afinal a procrastinação é fácil de entender…

17/01/2015

Os nossos pequenos super-heróis...



Curiosamente não tenho medo do facto de poder alterar ou condicionar irreversivelmente a vida dos meus doentes, nem tão pouco de conhecer as caves mais tenebrosas da mente…



Sinto-me muitas vezes um super-herói… Ai se soubessem o quanto isto é bom também queriam :)

16/01/2015

Sad Poems...



Seres Médico, é dares de cara, numa consulta, com uma pessoa que conheces desde sempre e que de repente ficas a saber que é seropositiva há mais de 10 anos…


Meus amigos… Não facilitem… Não facilitem mesmo…


:(

In between...




Sometimes I am caught in between saying hello and saying goodbye...



In between secret times and unspoken words…

31/12/2014

Feliz 2015 maltinha...



Adeus 2014… Um ano repleto de coisas boas e novas. Gostei. Foi ano que me fez lembrar quando me chamavam Doutor antes de acabar o curso de Biologia. Uma estranha sensação de poder quando o teu tutor te apresenta como o Psiquiatra Ricardo. Quem me conhece sabe que sou nada de títulos nem tão pouco faço alarido da minha formação académica mas há detalhes que nos fazem sentir a mil…

Dar aulas na Universidade, Psiquiatria, futeboladas, novos amigos, amor e viagens.

Espero que o ano vindouro seja tão ou melhor que este :)
Desejo-vos um ano de 2015 espectacular.

Beijinhos e abraços apertados


Ps: espero arranjar tempo para escrever mais por aqui… Vou tentar, prometo…

25/11/2014

Eles comem tudo...



Até dizia uma piada sobre o José Sócrates mas perdeu a graça…


Nunca percebi como é que quase três milhões de almas votaram no Senhor Engenheiro Sócrates…


Somos um país de débeis mentais…É que só pode…

A estranha área de desconforto...



Estranhamente o maior desafio deste ano não está a ser ver os doentes na urgência sem rede, nem tão pouco uma prática clínica muitas vezes autónoma mas sim o curso amador de teatro…


Força, poder, concha, céu, maior e o mais pequeno. Com voz gutural outras vezes mudo. Vestido ou sem roupa.



Às vezes nem precisamos de levantar os pés do chão para voar…

02/11/2014

Coisas que oiço por aí...



“Toda a gente sabe que o filho de um açougueiro nunca poderá ser um gentleman…”

29/09/2014

Show de Bola...



Já posso morrer… Já tenho a minha bola de bowling…



Ah, como eu adoro as feiras de velharias…

26/09/2014

28





28 pontos na liga record… Foda-se esta merda toda…

24/09/2014

Sou um gajo difícil de convencer...




Nunca consegui descobrir se o casamento é a mais trôpega das prisões ou se o paraíso mais celestial…

A educação de duas crianças pequenas...



O rapaz deixou o panfleto sobre a mesa sem palavra. Entrou mudo e saiu ainda mais calado. No papel rabiscado à mão falava das duas filhotas, a Marta e a Inês, que tinham fome, frio e falta de uma mão cheia de coisas que são importantes na educação de duas crianças pequenas.

Eu, o João e a Madalena continuamos a bebericar os nossos cafés quentes e nem de soslaio olhamos para aquele ofício rabiscado.

Quando fomos embora apanhei o papel e fiquei a pensar na Marta e na Inês com frio e com fome. Ainda pensei que seria uma daquelas estórias para sacar dinheiro ao povo. Pensei, repensei, voltei a pensar e fiz a transferência…


Às vezes precisamos de acreditar…

12/09/2014

A fogo mortiço da vida...



Hoje nos domicílios fomos visitar uma senhora nova com Esclerose Lateral Amiotrófica (a propósito do Ice Bucket Challenge), que no último ano tem vindo a partir… Primeiro foram os membros, de seguida a voz e depois deixará de respirar… Tudo isto encimado por uma lucidez difícil de entender…



A puta da vida tira-nos o chão assim de repente… Por isso tal como nos disse o António Feio: não deixem nada por fazer, não deixem nada por dizer e sejam felizes ou pelo menos tentem e coiso…

06/09/2014

20



Segundo Ortigue e colegas da Universidade de Siracusa demoramos cerca de 20 centésimos de segundo a apaixonarmo-nos à primeira vista. Os vinte centésimos de segundo correspondem ao tempo necessário para se libertarem os neurotransmissores que nos causam aquela sensação de loucura ensandecida…


20 centésimos de segundo para nos fodermos todinhos para todo o sempre, meus caros…

03/09/2014

O papá e as regras...



Sinais errados… Nem todos os sinais verdes são para avançar, nem tão pouco todos os vermelhos são parar…



Prontos, o papá admite: nunca fui bom a cumprir ordens…

O avançar do tempo...





Não sou especialmente fã da Marisa mas esta música é qualquer coisa :)