30/04/2008

A felicidade é...

"Camarada diário

Eu bem sei que já passaram eternidades desde que recebestes novas minhas. Desculpa, espero que não tenhas pensado que te tenho em má conta ou que estava zangado contigo. Nada disso meu caro camarada e querido diário de "guerra". Para saberes o quanto gosto de ti escrevo-te agora numa situação difícil, esperando que me mostres o caminho ou então que "apenas" me abraces com palavras boas e sorrisos estúpidos e complacentes, desses que me davas quando eu tinha quinze anos e me apaixonava a cada meia hora.

Pouco mudou comigo pá, apenas a cadência de apaixonamentos se mudou dum T-zero para uma casa maior, para umas dessas moradias geminadas com espaço para mais de quatro carros mas sem o prazer romântico de se cozinhar na sala dessa simples e maravilhosa divisão multifunções. Casas maiores requerem empréstimos maiores, seguros mais complicados, papéis assinados por avozinhas fiadoras, compromissos enfadonhos e um mundo que coisas que são completamente desnecessárias quando se compra um T-zero desses pequenos.

As paixões T-zero eram simples e descomplicadas, com poucas salas para ver e um quarto para foder…"


A felicidade é poder levantar-me a meio da noite e escrever as coisas mais idiotas…

1 comentário:

Pedro disse...

Devias levantar-te mais vezes! Altamente